Educação

Já pensou em estudar em um escritório de coworking?

Study Office em Ribeirão Preto oferece cabines de estudos privativas e toda a infraestrutura necessária para a potencialização dos estudos

O Study Office surgiu da necessidade de Isabelle Rocha em ter um local de estudo silencioso e humanizado. Após algumas pesquisas de mercado, Isabelle e seu esposo, Leonardo Arosti, idealizador do projeto, empresário e fundador do Study Office, constataram que existia demanda para o conceito e carência no mercado.

Ao realizar diversos estudos, perceberam que um local adequado, em um ambiente profissional e extremamente silencioso, é capaz de potencializar a concentração e favorecer os estudos.

“É um mercado promissor. Cada vez mais jovens recém formados procuram concursos públicos de alto nível para iniciarem suas carreiras, profissionais buscam especializações para se posicionarem no mercado de trabalho, como a residência médica, por exemplo, o nível das provas se eleva a cada ano, e as distrações em casa comprometem o rendimento nos estudos”, conta Leonardo Arosti, empresário e fundador do Study Office.

Foi então que decidiram abrir o Study Office em fevereiro de 2019. O grande primeiro desafio foi encontrar um local com espaço adequado, silencioso e em uma ótima localização. Após muita procura, encontraram o local ideal no Edifício Complexo Empresarial Fiúsa Center, porém as salas estavam completamente vazias e enfrentaram seu segundo desafio: reformas. Até que em setembro de 2019, conseguiram realizar a inauguração.

Com planos mensais, trimestrais, semestrais e diárias, e com opções de horários de acordo com a necessidade dos clientes, o Study Office funciona 24 horas por dia e 7 dias por semana. “Nosso público são médicos residentes, concurseiros, universitários, vestibulandos, enfim, qualquer pessoa que queira um local 100% pensado para a sua concentração nos estudos”, conta Isabelle Rocha, idealizadora do Study Office.

Além das cabines de estudos privativas, os clientes contam com um ambiente profissional e humanizado, com área comum para networking, copa para pequenas refeições, conveniência, sala de descanso para repor as energias, e uma “Sala Prime” para estudos em grupo. “Todos os ambientes contam com monitoramento e segurança 24/7, triagem na segurança do edifício, e o acesso às nossas dependências é liberado por aplicativo exclusivo. Temos também o Study Club, um programa de fidelidade e benefícios para nossos clientes em estabelecimentos parceiros”, complementa Leonardo Arosti, fundador do Study Office.

Entretanto, assim como outros empreendimentos, o Study Office também sofreu com as consequências da quarentena devido a pandemia do novo coronavírus. “Monitoramos a situação do novo coronavírus desde janeiro e, assim que os números começaram a aumentar, antes mesmo da pandemia, comunicamos nossos clientes da flexibilização dos contratos. Quando as primeiras orientações de fechamento vieram, fechamos imediatamente, suspendemos os contratos, ocorreram vários cancelamentos, muitos contratos suspensos. Mas foi aí que tivemos uma grande surpresa: alguns clientes, conscientes dos nossos compromissos e querendo manter seu local de estudos com as portas abertas, continuaram pagando suas mensalidades dispostos a utilizar os períodos pagos depois da reabertura, algo que foi muito importante para nós nesse momento tão crítico”, relembra Leonardo Arosti.

“Aproveito para agradecer a todos clientes que confiam no nosso trabalho e nos apoiaram! Foram meses de incertezas e dificuldades. Não havia muito o se fazer, pois o nosso negócio é a disponibilização de espaço físico, porém conseguimos administrar, inovamos com salas de estudos virtuais, e conseguimos vencer”, declara Isabelle Rocha.

Após a reabertura, ainda que parcial, tiveram um “boom” nas procuras. Em menos de um mês recuperaram o número de clientes que tinham antes do fechamento, e no último mês, mesmo ainda com incertezas de como as coisas serão, tiveram um crescimento de 30%. 

“Estamos tomando todas as medidas protetivas, já disponibilizamos álcool em gel em pontos estratégicos, o uso de máscara é obrigatório, instalamos tapete sanitizante, a limpeza é feita várias vezes ao dia, e disponibilizamos desinfetante hospitalar para uso de todos os clientes. Ter um local profissional, seguro e totalmente pensado em melhorar a performance do estudante faz toda a diferença”, afirma Isabelle.

Além disso, eles possuem boas projeções para o futuro. “Estamos criando um aplicativo exclusivo, que já está em fase de finalização. O projeto é fornecer um curso online sobre produtividade, algo que ajudará nossos clientes e será mais um diferencial para nossa marca. Desde o início criamos um plano de negócio formatado para franquias. Nosso modelo de negócio está validado e em 2021 nos tornaremos uma franqueadora”, conta Leonardo Arosti, empresário e fundador do Study Office.

Conheça mais sobre o Study Office:  www.studyoffice.com.br 

Lica Gimenes

Lica Gimenes

Colunista social de saúde e bem-estar no Portal Referência, Lica Gimenes é formadora de opinião em Ribeirão Preto. É colunista na Revista Dicas Mulher e tem ampla experiência em coordenação de eventos corporativos, análise de mercado, tendências de mídia e planejamento estratégico.

Adicionar comentário

Clique aqui para comentar