Empreendedorismo, economia e negócios

5 formas para validar uma ideia de negócio

Os desafios de empreender, lançar novos serviços e produtos muitas vezes impedem o início ou mesmo a continuação das organizações; especialista lista as principais dicas para tirar o sonho do papel, evitar transtornos e driblar esses riscos

Com a chegada da pandemia, muitas pessoas enxergaram o empreendedorismo como uma forma de ganhar dinheiro. Para se ter uma ideia, entre março e julho deste ano, 600 mil trabalhadores se tornaram MEIs (Microempreendedor Individual), atingindo um crescimento de 20% em comparação com o mesmo período de 2019.  

Mesmo com o cenário de crescimento de empreendedores aqui no Brasil é preciso mostrar uma realidade: a maioria dessas organizações nasceram sem um planejamento, sem um estudo de mercado e, muitas vezes, no susto. A prova disso é em relação ao desempenho das empresas, em que uma em cada quatro não sobrevive aos primeiros dois anos, e esse índice pode chegar a 50% nas corporações com menos de quatro anos, segundo dados do SEBRAE. Toda grande empresa enfrenta seus desafios e nas pequenas e médias, isso não é diferente.  

Gilberto Filho, CEO da Prolifere

De acordo com Gilberto Filho, CEO da Prolifere, todos os dias alguma área dá passos para inovar e mudar o mercado, independente do momento, a diferença é que com a pandemia tudo ficou mais complicado. “Muitas empresas jamais pensaram em passar por uma crise como essa e muito menos tinham reservas técnicas, isso fez com que os faturamentos congelassem, o “pânico” foi instaurado e o prejuízo bateu forte. Alguns usaram lucro de outros anos para segurar as pontas. Mas, precisamos dizer sobre algumas oportunidades que nasceram: empresas físicas que experimentaram o home office e já até devolveram suas sedes, entenderam que sim, é mais produtivo e proporciona qualidade de vida. Isso faz com que muitos locais percam suas rendas”, comenta o especialista.

Ainda de acordo com ele, antes de começar um negócio, todo empreendedor precisa saber que fracasso e sucesso andam na mesma linha e que empreender não é uma coisa fácil e crises vão aparecer. Abaixo, ele lista algumas dicas para realizar um plano de negócios e tirar a ideia do papel:

1- Estude o mercado: antes de investir em um negócio é preciso entender o porquê a pessoa quer desenvolver a ideia, é preciso ter um propósito. “Faça as seguintes perguntas: É uma cópia? Já existe algo semelhante? Tem alguma inovação de algo já existente, ao menos 1%? Está ciente que o processo é doloroso? Caso seja o que você deseja fazer, ainda se questione: Existe mercado? Por que nunca pensaram nisso? Importante: comece a girar seu primeiro MVP (Mínimo Produto Viável da Ideia), converse com amigos, conhecidos, desconhecidos e fale muito sobre o que deseja lançar”, aconselha Gilberto.

2- Valide a sua ideia: um dos maiores erros de quem está começando a empreender é que mesmo cheio de ideias, nem sempre elas são validadas por  medo de serem “copiadas”. “Mas isso não deve ser um motivo de preocupação, pois uma empresa pode até amar o que você faz, investir em uma estrutura 10 vezes maior que a sua, mas no fim das contas ela não terá a sua expertise. Por isso, não tenha receio de validar a sua ideia, mas cuidado também para não revelar a cereja do bolo”, pontua.

3- Aposte em apenas uma ideia: não é necessário apostar em 10 possibilidades ao mesmo tempo, é preciso manter o foco e investir apenas em uma bem feita. “Sempre digo para as pessoas entenderem sobre tributos e impostos que são preciosos para que o resultado aconteça. Em paralelo, desenhe muito bem a persona e mantenha os pés no chão. Muitos acreditam na romantização do empreendedorismo e isso não existe. Empreender leva tempo, é difícil, duro, onde é preciso trabalhar para alcançar o sucesso”, comenta.

4- Não misture vida profissional com pessoal: por mais que seja uma dica clássica, esse é um erro que ainda persiste em muitos negócios. “Ter uma empresa não é só pensar em ganhar dinheiro, também é preciso construir resultados. A maioria das corporações precificam errado e misturam gastos pessoais com profissionais. Gerir um negócio é como viver a vida, terá alegrias, dias bons, tristezas, dias ruins, e sim, pode subir e descer”, explica.

5- Nunca deixe de estudar: investir em cursos é muito necessário para um empreendedor sempre se manter atualizado e crescer a sua empresa. “Estude, tenha objetivos claros, monte cenários escalonados, tenha metas e sempre tenha uma coisa em mente: o problema vai aparecer e, quando acontecer, saiba resolvê-lo, apenas o trabalho faz a gente recuperar os prejuízos”, finaliza Gilberto.

Sobre a Prolifere: https://www.prolifere.com.br/ 

Lica Gimenes

Lica Gimenes

Colunista social de saúde e bem-estar no Portal Referência, Lica Gimenes é formadora de opinião em Ribeirão Preto. É colunista na Revista Dicas Mulher e tem ampla experiência em coordenação de eventos corporativos, análise de mercado, tendências de mídia e planejamento estratégico.

Adicionar comentário

Clique aqui para comentar