Notícias Pet

Cinco dicas para cuidar do cão idoso

Segundo DogHero, os pets com idade avançada necessitam de atenção especial para ter uma velhice confortável

Assim como os seres humanos, os cães também sofrem com a velhice e inúmeras doenças. A primeira característica a denunciar a idade do pet, é a presença dos pêlos grisalhos ao redor dos olhos e focinho. Também passam a trocar as brincadeiras por uma boa soneca no período da tarde. Essas mudanças começam a ser percebidas a partir dos 8 anos de idade do animal e, aos 12 anos, os cuidados devem ser redobrados. Para ajudar os tutores cuidarem dos animais mais velhos, a DogHero , maior empresa de serviços para animais de estimação da América Latina, selecionou as seguintes dicas.

• Alimentação pastosa:

Por conta da idade, cães idosos têm o ritmo da digestão e de absorção de alimentos diminuído. Isso faz com que os cachorros precisem se alimentar com uma ração que seja de fácil digestão e rica em proteínas. No caso de animais que já estiverem sem alguns dentes, o ideal é apostar em refeições mais pastosas. “O tutor pode até mesmo esquentar um pouco de água e colocar na ração para que o animal não tenha dificuldades ao mastigar”, sugere Thais Matos, veterinária da DogHero.

• Mobilidade reduzida:

Assim como acontece com os humanos idosos, uma caminhada pode ser desgastante para cães mais velhos. Por conta de problemas de saúde como artrite, artrose, problemas nas juntas e na coluna, pode ser que não tenham energia para correr e brincar como os cães filhotes. “Para facilitar a locomoção do animal, é preferível deixar a caminha perto do comedouro e do bebedouro”, comenta a especialista. Em relação aos passeios, os pais e mães de pets devem manter as atividades mas devem tomar cuidado com a intensidade e duração do exercício.

Sono:

Ainda segundo a veterinária, um cão idoso tende a dormir mais e passar mais tempo deitado. Por isso, os tutores não devem esperar que um cachorro mais velho tenha a mesma disposição que um pet mais jovem. Apesar de estranharem tamanha sonolência, os pais e mães de animais não devem se preocupar, até porque é normal que esses cães durmam entre 15h a 18h por dia. O sono na velhice é um fator importante para que o animal recupere as suas energias.

• Vivência com outros pets:

As limitações que a idade avançada traz faz com que alguns cães se tornem um pouco ranzinzas. “O contato com animais agitados e brincalhões pode estressar o cãozinho mais velho, cansá-lo e até fazer com que ele tenha atitudes agressivas por se sentir acuado ou com o espaço invadido”, esclarece a profissional.

• Idas aos veterinários:

Com o desgaste da saúde, é comum que os cães mais velhos tenham que ir mais vezes ao veterinários. Segundo especialista da DogHero, o ideal é que cachorros idosos passem por consultas pelo menos de seis em seis meses. Tal regularidade de exames e acompanhamento ajudará a detectar e prevenir doenças e manter o bem-estar do companheiro.

Lica Gimenes

Lica Gimenes

Colunista social, de saúde e bem-estar no Portal Referência, Lica Gimenes é a fundadora do Portal e formadora de opinião em Ribeirão Preto. É colunista na Revista Dicas Mulher e tem ampla experiência em coordenação de eventos corporativos, análise de mercado, tendências de mídia e planejamento estratégico.

Adicionar comentário

Clique aqui para comentar