Tecnologia e Inovação

Consultoria dá dicas importantes para compor corretamente um cap table

No universo das startups, a expressão cap table está entre as mais importantes. O termo vem do inglês “capitalization table“, que significa tabela de capitalização e determina a composição das porcentagens que serão direcionadas para cada sócio e investidor em cada momento do negócio.

Nela, estão definidos e claros quem são os acionistas e quais suas participações na empresa, incluindo análises de percentuais, diluição e valor do patrimônio em cada rodada. O cap table ideal protege o equity da startup e é um dos grandes pontos de impacto quando algum investidor analisa o negócio.

Para ajudar empreendedores a entender o conceito e a não errar na hora de fazer essa divisão, Fabiany Lima, diretora geral da DiliMatch, consultoria estratégica que facilita todo o processo de busca, negociação e fechamento de contrato entre investidores e startup, pontuou dicas importantes a serem consideradas nessa etapa. Confira!

Equilíbrio entre os sócios – Depois de definidos os cargos dos fundadores e atividades, a divisão da participação deve considerar o poder de decisão de cada um no dia a dia (responsabilidades) e sua relevância para o projeto. Caso haja uma desproporção nessa balança, pode surgir um sentimento de desmotivação, afetando o andamento e sucesso da startup. É preciso lembrar, nessa conta, que o empreendedor é a estrela do show, que trabalha horas a fio, diariamente, para manter o negócio caminhando.

Colaboração da equipe e terceiros – O cap table precisa ter, em sua participação societária, aqueles que agreguem dedicação e experiência em longo prazo, incluindo fundadores e time que investem capital intelectual e experiência desde os primeiros dias. Para demais profissionais (consultores, profissionais de softwares, mentores, entre outros), é preciso considerar a importância de suas atividades no dia a dia da startup e seu tempo de contribuição, entendendo qual seria o salário equivalente ao praticado no mercado e, a partir daí, entender se vale a pena pagar em dinheiro ou em participação. Na maioria dos casos, compensa mais optar pela remuneração pontual, em vista que o trabalho desses profissionais pode ser periódico;

Relação com investidores – O cap table precisa ser visto e composto estrategicamente e, por isso, investidores devem ter sua participação calculada com base no valuation que colocaram, na quantidade de pessoas já inclusas, e no que cada ponta contribuirá para a operação e saúde do negócio, sem grandes garantias para quem entra. Na participação de investidores e aceleradoras, é importante fazer contas, considerando o impacto de diluição na participação dos founders, para sobrar ações e equity para novas rodadas e talentos. Um cap table muito diluído, seja por equity crowdfunding ou por múltiplas rodadas/anjos, pode não ser atraente para novos investimentos.

Lica Gimenes

Lica Gimenes

Colunista social, de saúde e bem-estar no Portal Referência, Lica Gimenes é a fundadora do Portal e formadora de opinião em Ribeirão Preto. É colunista na Revista Dicas Mulher e tem ampla experiência em coordenação de eventos corporativos, análise de mercado, tendências de mídia e planejamento estratégico.

Adicionar comentário

Clique aqui para comentar