Viagem e Intercâmbio

Cidadania italiana: uma herança sem preço

*Por Rafael Gianesini

Quando falamos em herança, logo se pensa em um bem material que será passado por descendência: dinheiro, bens e joias por exemplo. Mas, você já parou para pensar que há outros bens, não materiais, que também podem ter grande valor ao serem transferidos de pais para filhos? Um ótimo exemplo disso é a cidadania italiana.

Digo isso por vários motivos: o primeiro deles é que o processo de cidadania exige um investimento relativamente alto, mas que não fica restrito a pessoa que o contrata. Por exemplo, quando falamos de um descendente cujo avô era italiano nativo, a partir do momento em que ele tem a sua nacionalidade reconhecida, todos os seus descendentes (cônjuges, filhos e netos), também passam a ter o direito ao benefício de forma facilitada.

Em segundo lugar, entendo que o passaporte vermelho pode ser considerado uma herança que abre muitas portas. Com ele, é possível criar oportunidades não apenas para você, mas também para os seus descentes: eles passariam a poder estudar, trabalhar, investir não apenas na Itália, mas em qualquer outro país da União Europeia, além de também ter acesso facilitado a diversos outros países, como Estados Unidos e Canadá.

E as vantagens não param por aÍ: ao optar por deixar a cidadania italiana para seus descendentes, o ascendente proporcionará a oportunidade de acesso ao terceiro passaporte mais poderoso do mundo, segundo o Henley & Partners Passaport Index, ranking divulgado todos os anos pela empresa.

Dito isso, gostaria de sugerir algumas dicas para ficar em todo esse processo: primeiro, entenda que o processo “jus sanguinis” (ou seja, por descendência) é diferente do processo para cônjuges. No segundo caso, se trata de uma concessão, e portanto um trâmite mais complexo.

Outra sugestão, e a meu ver, uma das mais importantes é: procure ajuda! Em geral, os tramites para reconhecimento da cidadania são em geral, complexos, principalmente quando afetam mais de um descendente. Tentar realizar sozinho, ou até realizar o processo pelo país de origem, pode causar certas dores de cabeça.

Hoje, no mercado, existem diversos especialistas que podem te ajudar a proceder da forma correta e evitar que você perca tempo e dinheiro. Eu sei que pode ser um processo custoso e burocrático, mas pode ter certeza: vale a pena!

* Rafael Gianesini é um dos fundadores da Cidadania4u, primeira empresa brasileira criada com o objetivo de auxiliar usuários a obter a cidadania italiana de forma transparente e prática e em um ambiente 100% online por meio de sua plataforma e aplicativo.

Lica Gimenes

Lica Gimenes

Colunista social, de saúde e bem-estar no Portal Referência, Lica Gimenes é a fundadora do Portal e formadora de opinião em Ribeirão Preto. É colunista na Revista Dicas Mulher e tem ampla experiência em coordenação de eventos corporativos, análise de mercado, tendências de mídia e planejamento estratégico.

Adicionar comentário

Clique aqui para comentar